Revista ADEGA

Degustação

Avaliação de vinhos de vinhas velhas

Uma lista com bons rótulos de vinhos produzidos em vinhas antigas

Da redação em 17 de Junho de 2019 às 15:00

A ADEGA preparou uma lista com ótimos rótulos de vinhos de vinhas velhas. Confira!

AD 89 pontos

ARTESO CRIANZA 2007

Bodega Ontañon, Rioja, Espanha. Tinto riojano com predominância de Tempranillo (vinhas de mais de 50 anos) completado com Graciano e Garnacha. Refrescante e frutado, com discreto aroma defumado permeado entre as frutas vermelhas, tais como cerejas e groselhas. Aromas minerais enriquecem o conjunto. Aporta textura macia e corpo médio, sem muito peso. Os taninos são fi nos, mais delicados e fi cam em segundo plano diante dos sabores frutados de groselha e toques tostados agradáveis. VS

AD 93 pontos

BEAUNE 1ER CRU VIEILLES VIGNES 2009

Dominique Laurent, Borgonha, França. Pinot Noir de vinhas de mais de 40 anos. Aromas agradáveis de frutas vermelhas lembrando cerejas, groselhas e framboesas, notas defumadas, terrosas e florais, além de toques especiados e de tabaco. Em boca, mostra fruta deliciosa, é intenso, potente e estruturado sem comprometer sua elegância e profundidade. Tem ótima textura, acidez vibrante e final longo e suculento. EM

Leia também:

Avaliação de vinhos Touriga Nacional

Quais são as vinhas mais velhas do mundo?

Desvende as vinhas velhas e suas influencias no vinho

AD 88 pontos

CANAL FLORES MALBEC RESERVA 2010

Spielmann States, Mendoza, Argentina. Este vinho é elaborado majoritariamente com uvas Malbec de um vinhedo plantado em 1910. Syrah e Cabernet Sauvignon completam o blend que estagia por 12 meses em barricas. Sua cor é escura, intensamente concentrada, com reflexos violetas. Os aromas remetem às frutas negras, essencialmente amoras maduras. Após alguns minutos, evolui para geleia de uva, com toques tostados. Em boca, apresenta boa acidez, sabores frutados e amadeirados, com final de boca médio/longo. VS

AD 88 pontos

CHAUVOT-LABAUME BORGOGNE VIEILLES VIGNES 2011

Chauvot-Labaume, Borgonha, França. 100% Pinot Noir de vinhas de mais de 40 anos, com estágio parcial em barricas de carvalho francês durante 16 meses. Cerejas, morangos e groselhas maduras envoltos por agradáveis notas herbáceas, minerais e de couro. Em boca, tem gostosa acidez, taninos marcantes e macios e final médio. Suculento e agradável de beber, é correto, direto, pura expressão da Pinot Noir, sem pretensões, como todo Borgonha de entrada deveria ser. EM

AD 92 pontos

FURVUS 2009

Vinyes Domènech, Monsant, Espanha. 80% de Garnacha de vinhedos de mais de 70 anos e 20% de Merlot. Aromas exuberantes de frutas vermelhas e negras maduras, notas florais, minerais e de especiarias doces, além de toques herbáceos. Em boca, é frutado, estruturado, potente, suculento, tem ótima textura, boa acidez e final longo e persistente. Um vinho grande, exuberante, mas mantendo o equilíbrio. EM

AD 90 pontos

GUENOC PETITE SIRAH 2011

Langtry Estate, Califórnia, Estados Unidos. De cor rubi translúcida e prevalência de frutas vermelhas maduras nos aromas, este belo exemplar da Califórnia agrada diversos paladares. Sua ótima acidez aliada ao corpo leve e os sabores frutados são a chave do seu sucesso. Toques herbáceos e tostados aparecem de forma discreta, conferindo sofisticação. A longa persistência confirma sua distinção. VS

AD 92 pontos

POUILLY-FUISSÉ VIEILLES VIGNES 2010

Domaine Pierre Vessigaud, Borgonha, França. Uvas Chardonnay advindas de vinhedos entre 40/80 anos. Frutas tropicais e de caroço, pronunciadas notas minerais, florais e herbáceas, além de toques tostados, de frutos secos e de baunilha. Em boca, é exuberante, frutado, equilibrado, tem ótima acidez, bom volume de boca e final longo e persistente, com um agradável toque salino, que convida a mais um gole. EM

AD 91 pontos

QUINTA DO JUDEU BRANCO 2010

Quinta do Judeu, Douro, Portugal. De vinhas quase centenárias no Douro, este elegante branco português, de perfume nobre e delicado, exala aromas minerais com toques cativantes de flores brancas. Em boca, é sedoso, redondo e bem equilibrado. Os sabores tendem para as frutas cítricas e de caroço, como pêssegos verdes. Seu retrogosto é marcante e persistente. Acompanha massas recheadas, como ravióli de brie e damasco. VS

AD 91 pontos

QUINTA DO PÔPA VINHAS VELHAS 2007

Quinta do Pôpa, Douro, Portugal. Um blend de Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz e Tinta Barroca de vinhedos de mais de 60 anos. Aromas de frutas negras maduras envoltos por notas florais, herbáceas e especiadas, além de curioso toque mineral. Em boca, é suculento, estruturado, tem ótimo volume, boa acidez, taninos sedosos e final longo e carnudo. Untuoso com sutileza. EM


Notícias vinhas velhas degustação avaliação de vinhos

Artigo publicado nesta revista


Douro Primeira Prova

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
Digital
1 ano
Digital
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaDigitalDigital
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241224
Comprando Avulso você pagariaR$ 216,00R$ 432,00R$ 216,00R$ 432,00
Assine Agora porR$ 216,00R$ 432,00R$ 64,80R$ 100,00
Desconto
EconomizaR$ 151,20R$ 332,00
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 72,00 6x R$ 72,00
Assinando agora você GANHA também Guia ADEGA Guia ADEGA Vinhos do Brasil 2018/2019 + Poster "as cores do vinho"

Boletim Revista ADEGA

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas